Resenha Fragmentados

Fragmentados
Laçamento-Julho 2015
Novo Conceito

"Em um mundo perfeito, todas as mães desejariam seus bebês e estranhos abririam seus lares para aqueles que não são amados. Em um mundo perfeito, tudo seria preto ou branco, certo ou errado, e todos saberiam a diferença. Mas este não é um mundo perfeito. Os problemas são as pessoas que pensam que sim."

Na Guerra de Heartland, também conhecida como a Segunda Guerra Civil, motivada por uma única questão, a vida. 

"De um lado as pessoas estava assassinando médicos abortista para proteger o direito à vida, enquanto do outro lado as pessoas estavam engravidando apenas para vender o tecido fetal."


Naquele ano um cientista descobriu como como fazer o neurotransplante com sucesso. Podendo-se usar partes do corpo de outras pessoas. Com isso foi assinado uma lei, A Lei da Vida, que permite que os pais possam "abortar as crianças" com a condição que a vida da criança a não tenha um fim, mas que ela passa a viver em vários pedaços. A criança não pode der tocada antes dos 13 nem depois dos 18. 
Eles utilizam 99,5% do corpo do fragmentado, cada jovem fica consciente durante a fragmentação.

A sociedade e os pais decidem se abortam ou não, essa lei é assinada assim que a criança nasce, ou depois se por acaso essa criança der muito trabalho a sociedade. 
Se você está marcado para ser fragmento, faça, viva, dê o seu melhor, talvez escape do seu destino.

Inicia-se uma jornada, lutando pela vida.

Três jovens marcados para serem fragmentados por diferentes situações.

Connor, descobriu que seus pais assinaram a lei e que ele iria ser fragmentado aos 16 anos e decidiu desertar.

Risa, é órfã e vivia sob a tutela do estado desde que nasceu. ela é uma ótima pianista, uma das melhores, mas por não ser "a melhor" decidem dar um fim nisso, e ela irá para fragmentação. Talvez suas mãos talentosas poderão ser as melhores no corpo de outra pessoa.

Lev, é um dízimo, acredite ou não, há pais que oferecem seus filhos a um sacrifício a Deus, dando o seu dízimo de 10% de tudo que você tem, Lev tem 10 irmãos ele é o caçula e sendo assim seus pais decidiram o ter para dar como sacrifício, ele foi criado e nascido sabendo que no seu aniversario de 13 anos seria fragmentado. 

''... se cada parte de você está viva, mas dentro de outra pessoa... você está vivo ou morto?''

Connor consegue fugir, mas descobrem aonde ele está, nesse momento em que a polícia o tenta pegar, Lev que está indo de encontro ao campo de colheita é parado por Connor para ser usado como escudo para não ser atingido, nessa situação toda, forma-se um caos no trânsito e Risa que está a caminho do campo de colheita se aproveita e se une a Connor, os dois conseguem fugir, Connor acha que está fazendo um favor a Lev em salvá-lo da fragmentação, mas ao que parece Lev quer ser fragmentado, pois foi para isso que nasceu.

Tudo o que os dois querem é sobreviver, Lev também, ele só não sabe disso ainda todos os conceitos e tudo que acreditaram até agora será mudado. Terão que entrar em uma jornada por busca da sobrevivência.

Essa distopia entrou nos meus favoritos assim logo de cara, o enredo é diferente de tudo que estamos acostumados, a forma como a história foi se desenvolvendo ao longo do livro foi muito bem traçada.
Os personagens são incríveis, pois cada um foi amadurecendo de uma forma magnifica, se tornaram verdadeiros sobreviventes.
Por ser um livro de uma série de quatro á ainda questões a serem levantadas e coisas para acontecer, mas o livro é ação, pura e eletrizante o tempo inteiro.
A narrativa foi algo que me impressionou bastante, o livro é contado em terceira pessoa, mas te da a sensação que que é contada em primeira, pois a todo momento você sabe cada pensamento dos personagens. 
É uma trama que nos leva a pensar e questionar, será que posso confiar?
A trama te um quê de realidade, o aborto, não vou me prolongar nisso, mais o livro te faz refletir sobre isso.

Esse livro me fez pensar sobre a vida, sobre o aborto sobre o direito a vida. Que ser humano tem direito de tirar a vida de outra pessoa?
Até aonde irá a crueldade e maldade humana?
A fragmentação é assustadora e fatal.

''Lobo frontal esquerdo.
 Eu... eu... eu não me sinto muito bem.
 Lobo occipital esquerdo.
 Eu... eu... eu não lembro onde... 
Lobo parietal esquerdo. 
Eu... eu... eu não consigo lembrar o meu nome, mas... mas... 
Temporal direito. 
...mas ainda estou aqui. 
Frontal direito.
Eu ainda estou aqui... 
Occipital direito. 
Ainda estou... 
Parietal direito. 
Estou... 
Cerebelo.
Estou...
Tálamo.
Eu...
Hipotálamo.
Eu...
Hipocampo.
...
Medula.
...
...
...


CAPAS DA SÉRIE

10 comentários:

  1. Uau... E essa capa maravilhosa, já vai para minha lista de compras hehehe.

    ResponderExcluir
  2. Uau... E essa capa maravilhosa, já vai para minha lista de compras hehehe.

    ResponderExcluir
  3. Amei a capa.
    O livro parece incrível.

    ResponderExcluir
  4. História fascinante, e um livro que parece prende o leitor do começo ao fim, parece ser muito bom, fiquei bastante interessada.

    ResponderExcluir
  5. Nossa! sinceramente até me arrepiei agora, fiquei muito interessada vou em busca dessa série o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  6. Que coisa bizarra, dividir as pessoas em partes. Já não curto distopias, e uma com uma premissa dessas, não me interessou nem um pouquinho. Mas concordo com você que um tema como esse faz pensar sim em questões como aborto e direito à vida.

    ResponderExcluir
  7. Legal !!!!! *-*
    já marquei no skoob :)
    muito show essa história!!!

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler esse livro, adoro distopias principalmente essas que tem uma premissa bem diferente. Vou adicionar na minha wishlist. Bjs ;)

    ResponderExcluir

® Blog Thays M. De Lima - Layout por A Design