Resenha Dandelion: Dente-de-leão | Ruby Lace



Dandelion: Dente-de-leão

Ruby Lace
The Gift Box
333 páginas
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Dandelion guardava dentro de si os mistérios que a compunham, muitos deles dolorosos e sombrios. Nascida e criada na pequena e pobre cidade de Devilis Mile, ela desejava ser como a flor pela qual foi nomeada e ser carregada para longe daquele lugar com um simples sopro de ar fresco.

Quando Stone — seu melhor amigo e protetor — decide seguir o sonho de ir para a faculdade, ele a deixa para trás com a promessa de que voltaria para buscá-la. Afinal, todos os seus melhores sonhos sempre a incluíam.
Stone cumpre a promessa e volta, porém, por razões trágicas. É preciso que uma pessoa inesperada entre em sua vida, para que segredos nunca revelados venham à tona e o ajudem a desvendar os mistérios de Dandelion

Dandelion é uma jovem reservada e introvertida, mas a sua personalidade é fruto de tudo que a jovem passou na sua infância. Ela perdeu a sua inocência ainda criança e teve que aprender a viver sob o mesmo teto que o seu pai, um homem alcoólatra, que a ofendia em todos os momentos. Desde jovem Dandelion aprendeu que não poderia deixá-lo sem o álcool, caso contrario as coisas seriam piores do que já eram.

Às vezes rezava escondido para que um anjo me levasse embora de casa para um lugar melhor. Às vezes pedia para papai do céu preencher esse vazio dentro do meu coração. E às vezes, só às vezes, pensava como seria melhor não ter nascido. 


Seu único refugio eram os desenhos, era onde ela conseguia descrever em linhas e cores todos os sentimentos contidos dentro de si.
Dandelion conhece Stone, um jovem de uma família humilde que acabou se tornando o seu melhor amigo ainda na infância, ele não sabia de tudo que Dandelion viveu, mas o pouco que sabia,  fazia de tudo para protegê-la até mesmo do seu pai.

Mas eu sempre sabia quando sua tristeza transbordava, porque sentia como se ela fosse minha também. 

Agora, os dois já estão crescidos e a amizade continua, Stone a ama como uma irmã, mas essa amizade pode ser abalada, pois Stone passou para a faculdade em outro estado, e não poderia levar Dandelion, pois, ainda falta um ano para sua amiga completar o ensino médio. 
Antes de ir, Stone a tira da casa do seu pai, um lugar ela sempre sofreu, passou necessidades e humilhações e a leva para morar com sua mãe.
Stone vai para a faculdade e começa sua nova vida longe de Dadelion e da sua mãe, ele vai com a promessa de volta para buscar sua melhor amiga, mas uma tragédia acontece e Stone é forcado a voltar antes do previsto, o que faz o seu mundo ruir.

O que Stone não sabia era que as mudanças que viu em mim foram frutos de muito trabalho. Quando ele se foi, eu perdi o meu caminho, pois sempre foi ele quem me guiava. Perdi o pouco do controle que tinha, as cores já não vibravam mais, a escuridão tentou me consumir, e a sensação de vazio em meu coração se multiplicou. 

Dandelion é um livro imprevisível e tenso, não é uma história com um começo bonito, é cru, duro e real, um livro que te deixará com lágrimas nos olhos com a crueldade do ser humano.
Quando comecei a leitura, criei uma teoria, mas a cada página fui sendo supreendida, pois nada era como eu imaginava. Por isso, é até difícil fazer uma resenha sem dar spoilers.
Dandelion é um livro sensível, que conta a história de suas almas quebradas, metades de uma laranja que precisam se unir, para se sentirem completos. Os personagens, os medos e os anseios são reais, a autora conseguiu transpassar ao leitor a cada linha a dor de cada personagem, muitas das vezes interrompi a leitura para respirar, pois estava com os olhos cheios de lágrimas. 
A escrita da Ruby é cativante, doce, poética e intensa, é o primeiro livro que li dela, e já estou louca para ler todos os outros.
Dandelion é um livro com uma história de recomeços, superação, e muito amor. Recomendo de olhos fechados.

Há muito me senti como uma erva daninha, mas no embalo dos seus braços e alvo do seu intenso olhar, enxerguei-me com os seus lindos olhos. Eles refletiam beleza, esperança e centenas de desejos a serem realizados. Ele me via como eu era: dente-de-leão.