Resenha | Belas Adormecidas

Belas Adormecidas
Editora: Suma
Páginas: 728
Cortesia da editora

Avaliação: 4/5
Adicione ao Skoob

Sinopse: Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis. Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.
Resenha
Inexplicavelmente, algo muito sinistro começou a acontecer com as mulheres pelo planeta. Elas deixaram de acordar. Assim do nada mesmo. Mulheres de todas as idades, de bebês a idosas; mulheres saudáveis ou doentes; elas dormiam e imediatamente eram envolvidas por um casulo e permaneciam ali dentro como se estivessem simplesmente dormindo.

Esse fenômeno começou a acontecer bem distante de Dooling, uma cidadezinha afastada, mas logo foi se propagando e as mulheres pelo mundo foram deixando de acordar. Esse vento ganhou o nome de doença da Aurora (devido à história da Bela Adormecida) e em pouco tempo quase todas as mulheres já estavam dormindo em seus casulos. O medo de adormecer fez com que elas buscassem meios de continuarem acordadas, na esperança de que antes de se entregarem ao sono a cura fosse encontrada.
Um outro fato muito intrigante e ainda mais assustador foi descoberto, ao retirar as teias essas mulheres - em uma espécie de transe - agiam como feras, ganhavam uma força descomunal e atacavam quem estivesse à sua frente, depois voltavam a dormir como se nada tivesse acontecido. Os homens passaram a se dividir entre os que queriam proteger os casulos e os que queriam destruí-los.

Quando foi divulgado que as mulheres viravam essas bestas ao serem retiradas dos casulos, grupos incendiários se formaram na intenção de queimar a maior quantidade possível de casulos. O resultado disso foi um verdadeiro caos. Em Dooling a situação se agravou. Uma mulher recém-chegada à cidade tinha o poder de dormir e acordar sem que nada lhe acontecesse e por isso ela se tornou alvo de homens motivados pelo ódio, por ganância ou pelo falso pretexto quererem estudá-la para acordar as suas mulheres. Qualquer que fosse o motivo, os caminhos levavam ao mesmo lugar: torturá-la para alcançarem os seus objetivos.
Essa mulher se chama Evie e tem mesmo ligações com a doença da Aurora. Ela foi presa por assassinato e acabou na penitenciária feminina de Dooling. As detentas já adormecidas já eram a maioria quando Evie revelou ter o poder de despertas as mulheres, mas, para que isso acontecesse, era preciso que os responsáveis pela penitenciária a mantivessem a salvo até um determinado dia.

Clint é o psiquiatra da penitenciária e no começo fica descrente sobre as coisas das quais Evie lhe conta, no entanto, com o passar do tempo, ele percebe a veracidade em sua palavra (incluindo demonstrações) e fará o que estiver ao seu alcance para protegê-la, até mesmo dar a sua vida. Mas quando a sua esposa - que é a Xerife - adormece, o homem que toma o seu lugar se alia a outros mal-intencionados e juntos dão inicio à guerra prevista por Evie.

E quanto à mulheres adormecidas? O que estaria acontecendo com elas? Bom, no restante do mundo elas estavam em um limbo, apenas dormindo sem saberem de nada. Mas em Dooling elas acordaram em um outro mundo. Sem homens. Elas começaram a se organizar e criaram uma comunidade unida na qual podiam caminhar livremente sem o medo como companhia. Por quê isso aconteceu ali? Qual o sentido de tudo isso? Você descobrirá ao ler a obra.
Minha impressão

Belas Adormecidas é um livro cheio de criticas sociais e traz uma realidade cruel enfrentada diariamente por nós, mulheres. O enredo instigante e envolvente prende o leitor desde a primeira página e o suspense cada vez mais sinistro se mantém até o final.

As sociedades estão impregnadas de machismo e misoginia, o que vemos no livro é pura e simplesmente fantasia, porém, a base da trama é o que há séculos acontece na humanidade e que se agrava com o passar dos tempos. O mundo não é um lugar seguro para uma mulher, isso é fato. Não generalizando, claro, mas os homens enxergam a mulher como propriedade, objeto sexual, servas, muitos homens pensam nas mulheres somente para servi-los e é isso que o livro aborda através de uma trama completamente bem-estruturada e desenvolvida.

Quando as mulheres do livro adormecem, vemos os piores pensamentos e atos dos homens. Mas não vamos generalizar, nem todo homem é repugnante e no livro encontramos alguns que darão as suas vidas para proteger mulheres que sequer conhecem. No mundo em que as mulheres de Dooling acordaram as coisas era bem diferentes, quase perfeitas, sem os homens muitos problemas deixaram de existir. Algumas estavam grávidas e alguns desses bebês eram meninos, elas tinham a oportunidade de criar um novo mundo.

Dos dois lados havia escolhas a serem feitas. Dos dois lados, homens e mulheres precisavam decidir pelo futuro da humanidade. O desfecho não é surpreendente, pelo contrário, mas a maneira como os autores o fizeram ficou muito bom. É um livro muito bom e também é preciso ter atenção para lê-lo, são muitas tramas acontecendo paralelamente, muitos personagens, muitos detalhes.


Um comentário:

  1. Nunca li nada do autor. Mas fiquei muito curiosa com a resenha.

    ResponderExcluir

® Blog Thays M. De Lima - Layout por A Design