Resenha | A Zona Morta

A Zona Morta
Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 480
Cortesia da editora

Avaliação: 5/5
Adicione no Skoob

Resenha
John Smith acordou de um coma que durou quatro anos, mas, estranhamente, havia algo inexplicável associado ao seu retorno. Com apenas um toque, John poderia saber coisas sobre as pessoas, um dom ou uma maldição? Ele está certo que o seu poder seja algo ruim. Depois de experiências assustadoras, John prevê o fim do mundo ao apertar a mão de um político. Ele se vê diante de um impasse e a solução parece ficar cada vez mais clara. Continue lendo a resenha e saiba mais sobre a obra.
John Smith era professor e levava uma vida normal, até que um passei no parque mudaria a sua vida drasticamente. John estava em um começo de relacionamento com Sarah, o casal tinha tudo para dar certo, mas eles nunca tiveram a oportunidade que mereciam.


"As duas coisas de que Sarah se lembraria mais tarde, sobre aquela noite, seriam a sorte que Johnny teve na Roda da Fortuna e a máscara. Mas, à medida que o tempo passasse, que os anos se passassem, seria da máscara que ela mais se lembraria - pelo menos quando se dispusesse a pensar naquela noite."

Quando Sarah chegou na casa de John, ele a estava esperando com uma máscara assustadora, a brincadeira de John seria lembrada para sempre por ele. Aquela terrível máscara jamais sairia de sua mente. Após se recuperar do susto, eles seguiram para o parque, onde acontecia uma feira que prometia barraquinhas de comidas, brinquedos e muita diversão.
No começo eles realmente se divertiram muito, mas quando John parou para jogar em uma Roda da Fortuna as coisas mudaram. Desde a infância, John tinha pressentimentos sobre o futuro, nada muito grande, eram apenas intuições, mas naquele momento, ele sabia com toda a certeza em quais números apostar.

John ganhou algumas partidas e as pessoas começaram a se amontoar em volta do casal. O dono da banca insistia para que ele continuasse apostando, achando que em algum momento ele perderia, as o incentivavam e ele fazia apostas cada vez mais altas. No entanto, Sarah começou a se sentir mal, de repente, o estômago começou a reclamar e ela queria ir embora, mas John estava ganhando e estava feliz, ficaram mais um pouco.
A noite que planejaram passar juntos não aconteceu, Sarah estava muito mal e ele a deixou em casa. foi durante a sua viagem de volta que tudo aconteceu! O táxi em que estava se envolveu em um acidente, o motorista morreu e John ficou quatro anos em coma. Foram tempos difíceis para a família, chegou o momento em que ninguém mais acreditava em seu retorno. Sarah se casou novamente, mas nunca deixou de amá-lo.

Quando acordou do coma, John descobriu um poder que não tinha explicação e assustava a todos. Com apenas um toque, ele podia saber informações da pessoa sobre o seu passado, presente e... futuro. Enquanto muitos viam como um dom, John via como uma maldição. Ele via coisas terríveis, era muito sofrimento. Depois de passar por experiências perturbadoras, ele vai se deparar com uma situação única. John aperta a mão de um político e o que ele vê é o fim do mundo. Algo precisa ser feito, a sua visão não pode se cumprir. John sabe o que está em suas mãos, mas como vai parar o político é que o deixa inquieto.
Minha impressão
Eu confesso que antes de ler o livro eu estava com medo de ser um terror bem pesado, sou bem medrosa mas encarei a leitura porque precisava vencer o meu trauma com o King. Há mais de dez anos, eu li O Iluminado e adorei o livro, só que nunca mais tive coragem para ler algo de terror de novo. Eu comecei a ler coisas mais leves e finalmente consegui ler um livro do King. 

Minhas impressões com a leitura? as melhores possíveis! É uma leitura maravilhosa, viciante e que me deixou completamente envolvida com os dramas do personagem. Eu achei que fosse me assustar mais, mas não li nada que me deixasse apavorada, no máximo uma forte tensão em alguns pontos e muito suspense.

Eu achei que o autor explorou muito bem a trama e os personagens. Eu também achei que ele abordou o fanatismo religioso de uma maneira bem trabalhada. A mãe de John é uma religiosa que se agarra às suas crenças com todas as suas forças, cada vez mais ela parece se distanciar da realidade e passa a acreditar em charlatões. 

Apesar de ser um pouco parado, o livro é excelente e estou muito satisfeita de ter lido um livro do King novamente, agora eu preciso ler outros livros dele. O cara é um gênio!

3 comentários:

  1. Já ouvir muito fala desse autor, mas nunca tive curiosidade de ler. Mas amei a resenha

    ResponderExcluir
  2. Resenha ótima, eu gosto de livros de suspense, acho que darei uma chance a esse autor..

    ResponderExcluir
  3. Esse é com certeza o autor que mais ouço falar, mas nunca tive coragem de ler um livro dele por conta do medo. 😂😂

    ResponderExcluir

® Blog Thays M. De Lima - Layout por A Design