Resenha | Talvez Um Dia

Livro Talvez Um Dia
Autor(a) Colleen Hoover
Páginas 368
Editora Record
Classificação 5/5
Adicione no skoob!
Adquira já o seu: SaraivaSubmarino
  
  Finalmente eu li Talvez um Dia \o/ 
  Esse é um dos livros que eu mais queria ler, antes mesmo do livro lançar aqui no Brasil, da diva da Colleen, uma das minhas autoras preferidas, se não a primeira. E, assim como todos os livros anteriores que já li da autora, esse também entrou para a lista de favoritos. Colleen nunca me decepciona, é tiro atrás de tiro. 

  Sydney e Ridge são vizinhos de prédios, porém nunca se falaram. A única interação que eles possuem é por intermédio da música. Todos os dias Ridge vai até a sua varanda e passa horas tocando violão e criando melodias. Enquanto isso, do outro lado, Sydney fica de sua varanda contando as horas para que Ridge apareça e comece a tocar. Toda noite, enquanto Ridge toca violão, Sydney finge que está estudando, quando na verdade está criando letras de músicas para as melodias que escuta. 


“Na primeira vez que escrevi uma letra, ele estava tocando a uns duzentos metros de distância, lá na sua própria varanda. Ainda assim, por mais que na época eu fingisse estar escrevendo sobre Hunter, sabia que era em Ridge que eu pensava quando cantava.”

  O que ela não imaginava era que, na verdade, ele já havia descoberto seu disfarce. Ridge está com um bloqueio, onde não consegue escrever as letras para suas canções, e é então que em uma dessas noites, Ridge decide se comunicar com Sydney. ~ pausa para o momento fofura: ele começa a falar com ela através de plaquinhas <3. Logo eles trocam o número de telefone e começam a se falar por mensagens de texto. 

  Aparentemente, Sydney possui uma vida tranquila e confortável. Ela divide o apartamento com sua melhor amiga Tori e há mais de 2 anos namora com Hunter, mesmo que não consiga enxergar um futuro ao seu lado. Ela faz faculdade de Artes, contra a vontade de seus pais e por conta disso não possui muito contato com eles. Ela também trabalha em meio período na biblioteca do campus. Como eu disse, aparentemente sua vida é tranquila e confortável. Aparentemente. 

  Mas é então que em seu aniversário de 22 anos seu mundo vira de pernas para o ar. Sydney descobre da pior maneira que sua melhor amiga e companheira de apartamento Tori está tendo um caso com Hunter, seu até então namorado. E tudo indica que não é de hoje que eles se pegam às escondidas, enquanto Sydney não está em casa ou enquanto ela está no banho. Não bastasse isso, ela ainda é demitida de seu emprego. Agora, ela se encontra sem casa, sem amigos, sem namorado e sem emprego. Grande presente de aniversário. 

   Ridge fica comovido com a situação em que Sydney se encontra e decide ajudá-la. Ele divide o apartamento com seu melhor amigo Warren, que é um personagem fantástico diga-se de passagem, e com Bridgette, uma garota mal-humorada, que mantém um relacionamento estranho com Warren. Mas após seu irmão ter se mudado de seu apartamento, ele está com um quarto sobrando e o oferece a Sydney. Ele sabe que ela não tem como pagar por ele e por isso oferece a ela que em troca do quarto ela o ajude com as letras de músicas. 


“Acho que eu nunca tinha visto olhos capazes de falar. Nem sei ao certoo que quero dizer com isso. Apenas parece que se ele me observasse por um instante com aqueles olhos escuros, saberia exatamente o que precisavam que eu fizesse. São penetrantes e intensos...”

  A ligação que os dois desenvolvem é incrível. É um sentimento puro e totalmente natural. Sydney ainda está muito machucada e na música encontra um meio de se libertar da mágoa, ela se sente leve enquanto está com Ridge, ele é como um porto-seguro. Mas, mesmo tentando fugir desse sentimento, os dois acabam se apaixonando um pelo outro, e é aí que ela descobre que Ridge é comprometido. 

  Maggie é namorada de Ridge há anos e os dois se dão super bem, não é aquele relacionamento que normalmente encontramos nos livros, o relacionamento dos dois não está desgastado, nem esfriando. Os dois se amam de verdade. E, após também conhecermos Maggie não conseguimos odiá-la, ela é uma menina doce e alegre, que encanta a todos. 


“No entanto, após Maggie entrar em cena, percebo que não poderá haver um talvez um dia entre nós. Nunca haverá talvez um dia. Ele a ama, e ela obviamente o ama, e não posso culpá-los, porque, seja lá o que eles têm, é lindo.” 

  Sydney não quer se tornar mais uma Tori, não quer transformar Ridge em mais um Hunter. E, por isso, os dois conversam e decidem reprimir essa atração e serem apenas amigos, mas sabemos muito bem que isso nunca dá certo, não é verdade? A cada nova melodia, a cada momento que passam juntos, tudo parece tão certo, e, ao mesmo tempo, tão errado. Como pode isso?


“Só me prometa uma coisa: que nunca vai ser um Hunter e que eu nunca, jamais, serei uma Tori.”

  A todo momento nós torcemos para que eles encontrem um jeito de ficarem juntos, mesmo sabendo que a probabilidade de isso acontecer é mínima. Ridge já deixou claro que não abandonaria Maggie por nada. E, claro que Sydney também não quer que ele faça isso com Maggie. Ridge vive em um dilema, como é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo, com a mesma intensidade? 

  Triângulo amoroso é um tema que já está bem batido atualmente, mas eu posso afirmar para vocês que Talvez um Dia consegue quebrar o clichê dos triângulos, esse é um livro que meche completamente com a cabeça, você se envolve de um jeito com os personagens que é como se você estivesse vivenciando essa agonia juntamente a eles. Você ri, você chora, você sofre e acima de tudo se emociona. O que é típico das histórias da Colleen Hoover. Eu não esperava menos dela. 

  Além disso tudo, esse livro tem um diferencial que são as músicas. A autora juntamente ao cantor e compositor Griffin Peterson criaram uma playlist de músicas feitas especialmente para o livro. Se, em Métrica nós encontramos poesias encantadoras, em Talvez um Dia encontramos músicas que ficam na nossa cabeça. Você pode encontrar essas canções aqui

  Por fim, só tenho elogios a dizer. Esse é um livro que te faz refletir e te faz questionar várias atitudes dos personagens. É um livro que fala sobre amor, paixão, atração, lealdade, amizade, cumplicidade e traição. Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa?


“Não tenho dúvida de que seríamos perfeitos um para o outro, Sydney. Mas nossas vidas não são perfeitas para nós.” 



4 comentários:

  1. Eu amor esse livro 😍😍 é um dos meus preferidos da Autora. Sei que muita gente fala que não foi um dos melhores mas para mim foi. Esse livro me suprendeu de todas as formas.

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro e confesso que me surpreendi com ele

    ResponderExcluir
  3. Que capa mais lindaaa. <3
    Não conhecia essa autora, mas já estou virando fã, o livro parece ser muito legal, já quero. haha
    Bjs

    www.jayhanadenardi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Esse já estava na minha lista de desejados, com essa resenha então, só aumentou minha vontade de adquiri-lo

    ResponderExcluir

® Blog Thays M. De Lima - Layout por A Design